Skip directly to content

Movimento Mulheres Municipalistas destaca resultado das Eleições Federais 2018

Data: 
09/10/2018 - 09:15
Movimento Mulheres Municipalistas

Brasília

O Movimento Mulheres Municipalistas (MMM), da Confederação Nacional de Municípios (CNM), parabeniza a todas as mulheres que se candidataram e se elegeram na eleição federal do último domingo, 7 de outubro. O resultado da votação indicou um cenário muito positivo em relação à crescente participação de mulheres na política brasileira, motivo de grande orgulho para todas que lutam diariamente pela inclusão feminina nos espaços de poder.

Dos 513 deputados federais eleitos, 77 são mulheres, o que representa 15% do total. Esse crescimento foi muito mais expressivo do que em eleições anteriores. A vitória dessas 77 mulheres significa aumento de 51% na bancada feminina da Câmara dos Deputados. Além disso, as candidatas a deputadas federais Mara Rocha (AC), Flávia Arruda (DF), Rose Modesto (MS) e Rejane Dias (PI) foram as que obtiveram a maior quantidade de votos em suas respectivas unidades federativas, trazendo um significado especial à candidatura de mulheres.

Outro destaque da participação feminina no Congresso ficou para o Distrito Federal. Do total de candidatos eleitos à Câmara Federal, 63% foram mulheres, sendo 5 deputadas de um total de 8 cadeiras. Outras conquistas importantes foram em Roraima, que elegeu a primeira deputada federal indígena da história, e em São Paulo, com a vitória da sua primeira deputada estadual transgênero e negra.

O cenário de eleitas para as Assembleias Legislativas Estaduais também trouxe avanços significativos. O número de deputadas estaduais cresceu 35% em relação às eleições de 2014, passando de 119 para 161 mulheres eleitas. A maior conquista foi no Amapá, que agora terá 33% de sua Assembleia Legislativa composta por mulheres. Logo em seguida aparecem Roraima e Sergipe, ambos com 25%.

Para o Senado, não houve avanço na eleição de mulheres, o que mostra a importância de fortalecer e incentivar mais a candidatura para senadoras. O número de candidatas que concorrem a esse cargo ainda é muito baixo. Em 20 Estados, nenhuma mulher conseguiu ser eleita ao Senado, sendo apenas 7 vitoriosas. Esse número não configura aumento em relação a 2010, ano em que também se renovou apenas 1/3 das cadeiras do Senado.

Por isso, O MMM continua o seu trabalho em busca do empoderamento feminino, sendo o primeiro movimento municipalista feminino apartidário brasileiro, que tem como principal objetivo a inserção das mulheres nos processos de governabilidade. Ainda visa a estimular as lideranças femininas locais a desenvolverem em seus Municípios alguns projetos sociais que a CNM implementa e que têm mostrado resultados positivos. A entidade acredita que, por meio dessas ações, serão alcançados impactos sociais ainda mais expressivos.